Umas das características mais perigosas para um trader é a teimosia – há quem prefira chamar de burrice. Pesquisas comportamentais na área da Economia definem e classificam de forma mais elaborada essas nossas velhas conhecidas. Chamam ambas de Falácia do Custo Afundado. O termo foi cunhado pelo psicólogo, especialista em Economia Comportamental e vencedor do Prêmio Nobel de Economia de 2002, Daniel Kahneman, no livro Rápido e Devagar – Duas Formas de Pensar (Editora Objetiva, 2012).

O nome é pomposo, mas a explicação dele é bem simples. Lembra daquela vez que você estava na fila do banco por 30 minutos, cheio de coisas para fazer no escritório e aquilo que você ia fazer no banco nem era tão urgente, mas você resolveu ficar e ver até onde ia aquela espera? Afinal, você já tinha gastado meia hora ali, não é mesmo? Então, a fila demorou mais uma hora e meia até chegar a sua vez. Já passou por isso?

Outro exemplo: você começa a ver um filme e, depois de uma hora, você chega à conclusão de que aquilo é muito ruim mesmo. Em todo o caso, como você já perdeu uma hora naquilo, você decide assistir até o final – nem que seja para depois ficar falando mal do filme. Resultado: em vez de perder uma hora da sua vida, você perde duas horas e meia.

Quer um exemplo um pouco mais pesado? Tá. Digamos que você está namorando uma pessoa há cinco anos. Depois de tanto tempo, você pensa e conclui: “Bom, já que eu namoro há tanto tempo, agora eu tenho de casar”. Ou seja, você está tomando uma nova decisão em sua vida, baseado em uma decisão do passado que você entende que tem a obrigação de sustentar.

Livre-se desse tipo de pensamento…

…ou será o seu fim no mercado financeiro. Imagine se você está numa operação e o mercado vai contra. Você já está amargando uma perda de 500 reais, mas você pensa: “Não, eu vou esperar um pouco mais, esse mercado vai virar. Estou perdendo 500, mas pode virar”. E não vira e você toma um prejuízo de 2.500 reais (em vez de 500).

A Falácia do Custo Afundado diz respeito a custos irrecuperáveis: o tempo que você perdeu na fila do banco ou assistindo aquele filme horroroso, não volta mais; o tempo que você investiu naquele namoro, já passou; o prejuízo que você tomou no mercado financeiro, você não recupera (você pode ganhar outro dinheiro, mas aquele, esqueça, você perdeu).

O nosso cérebro busca referências em decisões passadas para ajudar em nossas tomadas de decisões no presente e no futuro. Mas isso não quer dizer que esse seja sempre o melhor caminho. Se algo era bom no passado, pode ser que no presente ou no futuro não seja mais compatível com sua visão de mundo ou com seus objetivos. Identificar esse tipo de situação é primordial para você, pessoa, e para você, trader.

Para um trader, admitir que errou e aceitar um stop numa operação que foi contra suas expectativas, é sinal de sabedoria. Mas é para aceitar de verdade: é hora aceitar o erro, respirar fundo, reanalisar o mercado, ver se é o momento de virar a mão e voltar para o jogo. Isso depois de análise consciente do cenário, vale repetir. Bom, mas pode ser que não seja nem hora de voltar, a menos que o mercado te mostre algo que te dê certeza do caminho para a próxima operação.

O perigo da Falácia vai te rondar

O problema é se no minuto seguinte de ser tirado do mercado, em vez de analisar com frieza a bobagem que você fez, você insistir na mesma estratégia por causa da seguinte justificativa: “Bom, eu fiquei um tempão analisando o mercado, entrei na operação e fui stopado. Mas eu vou continuar apostando nessa estratégia. Impossível eu estar errado”. O verbo aqui é bem esse: “apostando”. Isso deixou de ser trading e virou aposta mesmo.

Pronto, a Falácia do Custo Afundado estará se realizando de novo na sua vida, por causa desse seu comportamento intransigente. Baseado numa decisão passada (de compra ou de venda) que se mostrou errada, apegado a ela, você se deixa influenciar e insiste em seguir com a mesma estratégia. Afinal, já que você perdeu tempo e dinheiro naquilo, você precisa recuperar o que perdeu. Pare de se enganar. Perdeu. Não tem como recuperar.

O melhor caminho aqui é mesmo parar, respirar fundo e começar tudo do zero: reanalisar o mercado todo, esperar um outro bom ponto de entrada e voltar para a operação com a mão certa. Esticar stop ou ficar esperando o mercado voltar (enquanto você vai aumentando suas perdas) é suicídio. Assuma seus erros e recomece.

Agora que você sabe que o nosso cérebro funciona dessa forma, buscando em decisões passadas referências para fazer escolhas no presente e no futuro, rompa com esse tipo de comportamento toda vez que você estiver sendo levado por esse blá-blá-blá da sua mente. Aí, sim, você vai aumentar as suas chances de ter sucesso no mercado financeiro.

Recommended Posts